Domingo, 16 de Janeiro de 2022
86 98114-0201
Municípios Prefeito morto

Assassinato do prefeito de Madeiro teria sido motivado por exonerações, diz delegado

O gerente de Policiamento do Interior, delegado Marcelo Leal, confirmou, em entrevista nesta segunda-feira (29), que o principal suspeito do assassinato do prefeito de Madeiro, Zé Filho (Progressistas), é o seu afilhado e ex-aliado político, Felipe Seixas

29/11/2021 15h35
Por: Redação Fonte: cidade verde
reprodução
reprodução

O gerente de Policiamento do Interior, delegado Marcelo Leal, confirmou, em entrevista nesta segunda-feira (29), que o principal suspeito do assassinato do prefeito de Madeiro, Zé Filho (Progressistas), é o seu afilhado e ex-aliado político, Felipe Seixas.

Segundo as investigações policiais, o assassinato teria sido motivado por exonerações dos cargos de Felipe e do seu pai na Prefeitura Municipal. No início da gestão o prefeito Zé Filho rompeu com o grupo político que lhe apoiou, a partir daí, uma rixa política se instalou no município. 

“Testemunhas oculares confirmam que esse indivíduo [Felipe] foi o autor dos disparos. As discussões entre eles já vinham de algum tempo, motivadas, a priori, pela exoneração do pai do Felipe de cargo importante da prefeitura no setor de transportes e também da exoneração do próprio autor de um cargo público”, conta o delegado.

De acordo com testemunhas, ao se aproximar o seu carro para ir embora do torneio de futebol “Taça Zé Filho”, às 17h deste domingo (28), o prefeito foi surpreendido por Felipe, que tem um empreendimento próximo ao campo onde o jogo acontecia, e sofreu três tiros de arma de fogo.

“Esses fatos [exonerações] aliados a questão que ontem ele[prefeito] teria participado desse torneio nas proximidades do empreendimento do autor, fez com que ele[Felipe] visse ali o momento mais adequado para cometer o homicídio. O prefeito levou um tiro na têmpora esquerda e, segundo testemunhas, após cair recebeu mais dois disparos de arma de fogo”, acrescenta o delegado Marcelo Leal.

O autor do homicídio continua foragido e o  delegado Marcelo Leal negou o boato de que ele teria cometido suicídio. As buscas continuam.

Uma equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi deslocada para a cidade de Madeiro para investigar o caso. O inquérito é presidido pelo delegado Bruno Ursulino. 

Os policiais estão na cidade para coletar informações que possam ajudar a esclarecer a dinâmica e  motivação do crime. 

Ele1 - Criar site de notícias