Sexta, 23 de Julho de 2021
86 98114-0201
Destaques Investigação

Polícia investiga denúncia de que 'profeta' estaria com 23 crianças no Norte do Piauí

As crianças estariam em um tipo de "terra prometida", vivendo em regime de escravidão

21/06/2021 13h46
Por: Helen Mayra Rodrigues Fonte: piauihoje.com
Reprodução
Reprodução

Um piauiense identificado como Luís Pereira do Santos, que ficou conhecido em todo país como "profeta do fim do mundo" ao pregar que o mundo acabaria em 2012, voltou a ser alvo de investigação da Polícia Civil. A polícia apura a informação de que Luís estaria mantendo 23 crianças sob constante ameaças e em regime de escravidão em um local batizado como Terra Prometida, na localizada Pau D'arcos, zona rural de Cocal de Telha, no Norte do Piauí.

As investigações foram solicitadas pelo promotor Roberto Monteiro Carvalho, responsável pela Promotoria de Justiça de Capitão de Capitão dos Campos. O processo administrativo foi instaurado pelo Ministério Público do Estado para apurar as denúncias de que as crianças naturais de vários municípios estariam vivendo com o "profeta" em situação precária.

A responsável pelas investigações é a delegada Antônia Kamila Martins Braga, titular da Delegada de Polícia Civil de Capitão de Campos. De acordo com as informações da denúncia, as mães também vivem no local, mas sequer têm o direito de escolher o nome dos filhos. O Luís Pereira é quem manda no local e quem determina com quem as pessoas se casarão. 

O PROFETA

Luís Pereira dos Santos ficou conhecido ao pregar o fim do mundo para às 16h do dia 12 de outubro de 2012. Ele manteve 120 pessoas trancadas dentro de uma casa em Teresina à espera do momento. A polícia mobilizou uma operação com mais de 100 homens e conseguiu prender o falso profeta por estelionato e resgatar as pessoas envolvidas.

As vítimas relataram que deram até R$ 3 mil para o profeta e que chegaram a vender seus imóveis. Na época, Luís tinha 43 anos e foi preso após investigação do 11º Distrito Policial. Após decisão judicial, ele foi solto com a justificativa de que não possuía  antecedentes criminais graves. O "profeta" teria se mudado para Campo Maior e posteriormente para Cocal de Telha.

Ele1 - Criar site de notícias